_CA_6212-1.jpg

Casacor

CASA NINHO | CASACOR

Metragem: 48m2

Local: São Paulo

Fotos: Denilson Machado

Um espaço aconchegante para refletir, se reconectar e renovar as energias, onde o conforto e a natureza se encontram e o bem-estar se alinha ao design, proporcionando sensações únicas em um espaço acolhedor. 

 

Marcando a segunda participação na CASACOR o escritório propõe novos significados ao refúgio urbano, além de uma reflexão sobre como viver de forma mais leve através de sensações exploradas no ambiente, trazidas pelos sentidos: o tato, através das texturas e materiais utilizados, olfato pelo aroma natural, audição pela trilha sonora pensada especialmente para trazer leveza e a visão pelo todo que traz conforto visual a quem entra. A inspiração veio do próprio DNA criativo do estúdio que conta com alguns pilares: a preocupação com o conforto e sensações a serem sentidos no espaço, a personalização através da curadoria e de peças únicas desenhadas pelo estúdio e que a natureza “de fora” – traduzida como iluminação abundante e plantas que limpam e purificam - de alguma forma, ultrapasse as barreiras e invada os espaços, criando essa conexão apelidada por nós como o “de fora para dentro”.

Esses pilares projetuais tem conexão direta com o tema da CASACOR: Casa Original, local de aconchego, de acolhimento e que abriga histórias. Que passa longe da perfeição cenográfica e traz verdade, convida ao uso e convive em harmonia com imperfeições. Da Casa Original nasce a Casa Ninho, espaço de conexão genuína entre o espaço físico e seus usuários. 

 

A ressignificação de materiais que seriam descartados se fez presente no espaço com a utilização do piso em madeira natural vindo de um apartamento dos anos 60, que seria descarte de uma obra residencial executada anteriormente, e foi restaurado pelo escritório. Aplicado na sala de estar e quarto, após a mostra será doado, para continuar a escrever sua história. 

 

Um dos destaques do projeto é o azulejo desenvolvido pelas arquitetas em parceria com a Colormix, que será lançado na CASACOR. O revestimento que leva o nome do espaço, tem em sua referência o desenho de um ninho descontruído, com três peças diferentes que formam um desenho quando colocadas em linha apenas uma única vez, refletindo os caminhos da vida, que ora tem uma sequência clara e contínua, ora segue aleatória e aparentemente sem sentido, mas a união do linear e do aleatório é que forma o grande desenho da vida.

 

A fachada recebeu um extenso painel de cheios e vazios em sua estrutura criada com tijolos, o cobogó, elemento clássico da arquitetura modernista brasileira, traz permeabilidade visual e ventilação natural para o espaço, proporcionando uma fachada despida de modismos, que remete ao essencial. Inserido nesse painel, uma grande abertura com um generoso banco, para que o público possa ter um espaço de descanso, que chama atenção para a arquitetura e cria relações com o usuário.